segunda-feira, agosto 21, 2006

segredo II

Não me ensines como quem indica um caminho,

nem me fales das coisas que já sabes de cor e que

te fazem esquecer de tudo.

Não te preocupes quando muitas vezes achas que

estou errado, quando sinto o que sinto.

E que o meu coração possa experimentar de todos

os frutos que apanho e caem nos pés do meu caminho,

ainda sem os nomes que lhes inventaste.

Deixa-me ir onde nunca foram e dizes que não vá.

Quem sabe, inventar um novo alfabeto para que o

possas destruir. E nem sabes como isso é bom.

Deixa que abandone o que antes criei com esforço

para construir tudo de novo e descobrir a ilusão

do que se faz como quem brinca.

E se vens ao meu lado

e ao teu lado estou, que aprendamos o princípio

do amor sem as palavras que insistes em escrever até ao fim,

e assim,

viver.

Apenas.

Daterra

2 Comments:

At 31 agosto, 2006, Blogger fada said...

há uma arvore que fala todas as línguas
há uma árvore com quem todos falam
há uma árvore que gostava de soltar as suas raízes e inventar um pouquinho do elo prateado que percorre todo o universo
...contigo

 
At 20 setembro, 2006, Blogger Daterra said...

será um prazer caminhar ao teu lado amiga.como tem sido aliás. és uma querida fada :)

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home