sexta-feira, novembro 23, 2007

Nenhum vir, nenhum ir



Em minha vida diária eu pratico sempre dando uma olhada nas
coisas e pessoas ao meu redor, e já posso ver minha continuação
nesta flor, ou naquele arbusto, ou naquele monge jovem, ou
naquela monja jovem.

Eu vejo que nós pertencemos à mesma realidade, estamos fazendo
nosso melhor como uma Sangha, levando pouco a pouco as sementes
do Dharma para todos lugares, fazendo as pessoas ao nosso redor
felizes.
Assim não vejo a razão pela qual eu tenha que morrer, porque posso
me ver em vocês, em outras pessoas, em muitas gerações. É por isso
que prometi às crianças que estarei escalando a colina no século 21
com elas.
Do topo da colina, no ano 2050, estarei olhando para baixo e
desfrutarei o que estiver lá junto com os jovens.

O jovem monge Phap Canh que tem agora vinte e um anos, no topo
da colina terá setenta e cinco! E claro que eu estarei com ele, de mãos
dadas, e olharemos para baixo para ver a paisagem do século 21 juntos.


para ler todo o ensinamento, aqui
(Discussão de Dharma dada por Thich Nhat Hanh no dia 11 de agosto de 1996 em
Plum Village, França)

1 Comments:

At 24 novembro, 2007, Anonymous marcelo said...

inspirando, expirando, eu sou você, você é eu -- estamos sempre juntos, aqui.

Um grande abraço, amigo.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home